Search
quarta , 20 de setembro de 2017
  • :
  • :
   
  Apoio

Brasil possui a 9ª "pior internet" dos 32 países que participarão da Copa

Um levantamento feito pelo site G1, que considera os dados de conexão fornecidos pela companhia de infraestrutura de redeAkamai, afirma que o Brasil possui a nona pior velocidade média de internet dentre os 32 países que participarão da Copa. Em providencial analogia com o evento esportivo, o portal diz também que, “se entrassem em campo, essas taxas de download e upload colocariam nosso país no 24º lugar da competição”.

Cravada em 2,7 Mbps, a velocidade de acesso à internet do Brasil é superior à dos seguintes países: Costa Rica (2,1 Mbps), Honduras (2,1 Mbps), Irã (1,2 Mbps), e dos países africanos, Gana (2,4 Mbps), Costa do Marfim (2 Mbps), Nigéria (1,8 Mbps), Argélia (1,1 Mbps) e Camarões (0,9 Mbps). A nona pior taxa de transferências online colocariam as terras tupiniquins em 24ª colocação devido ao esquema da competição: somente os primeiros e segundos colocados de cada um dos oito grupos avançam às oitavas-de-final na Copa.

Um dos motivos que truncam o acesso rápido de usuários à internet é, naturalmente, a falta de infraestrutura. Conforme esclarece Jonas Silva, diretor geral da Akamai no Brasil, nosso país conta atualmente com 37 milhões de IPs únicos – os registros de protocolos de internet são responsáveis por permitir o acesso à grande rede por aparelhos. Tal constatação coloca o Brasil na quinta colocação como um dos maiores detentores de IPs únicos do mundo.

 

Reprodução/TecMundo

Reprodução/TecMundo

“Quem é incluído digitalmente não parte de uma velocidade alta. Primeiro, ele quer descobrir o que é a tal da internet. Depois que ele entra na internet que ele vê que pra ver filme precisa de mais velocidade, para não ver o vídeo todo picadinho. Ou seja, essa inclusão digital é que puxa nossas médias lá para baixo”, explica Silva em menção ao patente “gigantismo” do país. Ainda na opinião do especialista, mais opções de serviços devem ser disponibilizadas aos consumidores para a devida geração de concorrência.

“Também há a disponibilidade em abundância de conteúdo. O Spotify chegou na semana passada ao Brasil. Esses caras têm essas opções há muito mais tempo. À medida que você vai colocando opções de entretenimento na internet, é isso que faz a pessoa dizer: ‘Puxa, eu preciso ter um negócio desses’”, finaliza o executivo. Confira abaixo o ranking que leva em conta as maiores e menores velocidades de conexão à internet composto pelos 32 países que disputarão a Copa:

  • 1) Coreia do Sul: 21,9 Mbps
  • 2) Japão: 12,8 Mbps
  • 3) Holanda: 12,4 Mbps
  • 4) Suíça: 12 Mbps
  • 5) Estados Unidos: 10 Mbps
  • 6) Bélgica: 9,8 Mbps
  • 7) Inglaterra (Reino Unido): 9,4 Mbps
  • 8) Alemanha: 7,7 Mbps
  • 9) França: 7,7 Mbps
  • 10) Rússia: 7,4 Mbps
  • 11) Espanha: 6,6 Mbps
  • 12) Portugal: 6 Mbps
  • 13) Austrália: 5,8 Mbps
  • 14) Itália: 5,2 Mbps
  • 15) Grécia: 4,9 Mbps
  • 16) Croácia*: 4 Mbps
  • 17) México: 4 Mbps
  • 18) Bósnia e Herzegovina: 3,6 Mbps
  • 19) Chile: 3,4 Mbps
  • 20) Equador: 3,4 Mbps
  • 21) Argentina: 3,1 Mbps
  • 22) Uruguai: 3,1 Mbps
  • 23) Colômbia: 2,9 Mbps
  • 24) Brasil: 2,7 Mbps
  • 25) Gana: 2,4 Mbps
  • 26) Costa Rica: 2,1 Mbps
  • 27) Honduras*: 2,1 Mbps
  • 28) Costa do Marfim: 2 Mbps
  • 29) Nigéria: 1,8 Mbps
  • 30) Irã: 1,2 Mbps
  • 31) Argélia: 1,1 Mbps
  • 32) Camarões: 0,9 Mbps

Fonte: TecMundo




Comentários