Search
sábado , 23 de setembro de 2017
  • :
  • :
   
  Apoio

Ex-presidente de torcida do Goiás assassinado queria se mudar de setor

(Foto: Divulgação)

(Foto: Divulgação)

Revelação foi feita à polícia por familiares da vítima, baleada ao sair de casa.
Delegada afirma que rixa com torcidas rivais é a principal linha de apuração.

A delegada Flávia Andrade, adjunta da Delegacia Estadual de Investigação de Homicídios (DIH) disse ao site do G1 que a principal linha de investigação sobre o assassinato de Evandro Rodrigues Cavalcante, 37 anos, está relacionada a briga de torcidas. Ex-presidente da Força Jovem de Goiás, torcida organizada doGoiás Esporte Clube, ele foi morto na manhã dessa segunda-feira (22) quando saia para o trabalho.

“Esse indício é reforçado pelo fato de que a gente conversou com alguns familiares da vítima e eles falaram que ela já tinha manifestado a intenção de se mudar do setor justamente por causa desse medo, desse temor da vida pregressa envolvendo essa torcida organizada”, disse a delegada.

Após deixar a presidência da torcida, a vítima atuava há dois anos como servidor comissionado da Secretaria de Estado da Cultura de Goiás (Secult). Flávia explicou que como as investigações ainda estão em fase inicial, a corporação ainda não descarta a hipótese de vingança. O motivo seria o homicídio de um torcedor do Vila Nova, rival do Goiás, ocorrido supostamente a mando de Evandro pelo fato do jovem namorar com a sua filha.

 

Tentativa de fuga

Evandro morreu enquanto aguardava um amigo para ir ao trabalho. Segundo testemunhas, os suspeitos chegaram em dois carros e começaram a atirar. Tio da vítima, Antônio Costa Cavalcante afirma que ele até tentou fugir, mas não conseguiu.  Os suspeitos estão foragidos.

“Ele estava tentando correr para entrar na casa da mãe dele [que fica perto do local do crime]. Mas como era cedo, [a residência] ainda estava fechada e ele não conseguiu”, afirma.

Segundo a PM, um amigo de Evandro que tinha ido buscá-lo em casa escapou ileso. “O rapaz contou que tinha ido até a casa dele para que os dois fossem juntos ao trabalho, como de costume. Quando os dois estavam na frente da residência, um veículo se aproximou e os ocupantes já dispararam tiros”, explicou ao site do G1 o tenente J. Ribeiro.

Um dos carros usados pelos criminosos foi encontrado abandonado no residencial Rio Verde, bairro próximo de onde ocorreu o crime. “Encontramos projéteis de pistola calibre 380 ao longo de uma quadra depois da casa, onde ele acabou morrendo. Existem marcas de tiros no carro, que era roubado, o que nos leva a crer que houve troca de tiros entre eles e Evandro”, relatou o PM.

 

Histórico
Ainda segundo a PM, Evandro tinha passagens por homicídio e uso de drogas. Em julho de 2011, ele foi preso suspeito de encomendar o assassinato de Lucas Arantes Silva, torcedor do Vila Nova. O motivo seria o namoro entre a vítima e a filha de Evandro.

Na época, Rodrigo Rodrigues de Sousa confessou que atirou na cabeça da vítima, no Residencial Goiânia Viva, a mando do ex-presidente da Força Jovem. De acordo com a investigação policial, foi Evandro quem deu a  arma para Rodrigo matar Lucas. O caso foi analisado pela Justiça, mas os acusados não foram a júri popular por falta de provas.

Ainda de acordo com a Justiça, Rodrigo foi morto durante a investigação após se envolver em uma briga de torcidas rivais.

 

Fonte: G1




Comentários