Search
quarta , 20 de setembro de 2017
  • :
  • :
   
  Apoio

Rosberg “ignora” Hamilton, vence em Mônaco e retoma ponta do Mundial

Em uma pista tão estreita como as ruas do Principado de Mônaco, largar na frente é um grande passo para a vitória. E a polêmica pole position que Nico Rosberg conquistou no treino de sábado, sob a suspeita de que teria errado propositalmente no fim para atrapalhar Lewis Hamilton, acabou sendo vital. Era grande a expectativa para saber como iam se comportar os amigos (ou seriam desafetos?) da Mercedes. Mas o alemão não deu chances para qualquer aproximação. Manteve a primeira posição na primeira curva e administrou o britânico pelos retrovisores ao longo de toda a prova para vencer de ponta a ponta. Seu trabalho ficou ainda mais fácil no fim, quando Hamilton alegou um problema no olho esquerdo, perdeu rendimento e foi se preocupar em segurar Daniel Ricciardo, da RBR, para manter a segunda posição. Foi a quinta dobradinha das “Flechas de Prata” em seis etapas, consolidando o melhor início de temporada de uma equipe na história da F-1, superando a McLaren de 1988 de Ayrton Senna e Alain Prost.

“Não somos amigos”, dispara Hamilton sobre relação com Rosberg após corrida.

Nico Rosberg comemora muito sua segunda vitória nas ruas do Principado (Foto: AP)

Nico Rosberg comemora muito sua segunda vitória nas ruas do Principado (Foto: AP)

Com sua segunda vitória na temporada, Rosberg quebrou a série invicta de quatro provas de Hamilton, subiu para os 122 pontos e retomou a liderança do campeonato, quatro pontos à frente do parceiro de time. Criado em Monte Carlo, Nico chegou também ao segundo triunfo consecutivo na mais charmosa prova do calendário. Um feito com sabor especial para o alemão de 28 anos, que com cinco vitórias na carreira, igualou o pai – e ídolo – Keke Rosberg, campeão mundial de 1982.

Já Felipe Massa fez uma bela corrida de recuperação. Após o azar de ter sido tirado do treino classificatório, o brasileiro da Williams largou em 16º, foi galgando posições e cruzou a linha de chegada em sétimo. Com os seis pontos marcados, Massa subiu para a 11ª colocação no Mundial, com 18, deixando para trás Kimi Raikkonen, seu substituto na Ferrari, com 17. À frente de Massa chegaram Fernando Alonso (Ferrari), em quinto, seguido por Nico Hulkenberg (Force India) e Jenson Button (McLaren).
Felipe Massa fez boa corrida de recuperação e fechou na zona de pontuação (Foto: AFP)

Felipe Massa fez boa corrida de recuperação e fechou na zona de pontuação (Foto: AFP)

Mas a grande surpresa da prova ficou por conta de Jules Bianchi. No melhor estilo “come-quieto”, o promissor francês largou em 21º, foi ganhando posições com abandonos e ultrapassagens e levou a “nanica” Marussia, pela primeira vez na história, à zona de pontuação. Bianchi havia cruzado em oitavo, mas teve 5s acrescidos em seu tempo em razão de uma punição. Mesmo perdendo uma posição para Romain Grosjean, o francês deixou sua marca na história. Kevin Magnussen (McLaren) fechou o top 10. Bem mais atrás, em 14º, o companheiro de Bianchi na Marussia, Max Chilton, completou sua 25ª corrida consecutiva, quarta maior marca da categoria.
Fonte: G1



Comentários